08/10/2008 – TGV A CAMINHO DE MADRID


08/10/2008 – TGV A CAMINHO DE MADRID

A secretaria do Estado dos Transportes disse que espera receber três ou quatro propostas no concurso para o primeiro trecho de alta velocidade em Portugal. “Todas as principais construtoras do nosso país, desde a Teixeira Duarte à Mota Engil OPWA, para além da Efacec e da Brisa, levantaram a proposta relativa ao trecho Poceirão/ Caia, cujo concurso foi lançado a 2 de Junho”, afirmou Ana Paula Vitorino.

O prazo para a entrega das propostas para a concessão e construção deste trecho do projeto de alta velocidade ferroviária, terminou, tendo dois consórcios manifestando publicamente o seu interesse. O primeiro consórcio a formar-se para concorrer à alta velocidade, é liderado pela Brisa e pela Soares da Costa e integra a Iridium Concesiones de infra-estruturas, do grupo espanhol ACS e as outras construtoras Portuguesas Lena e Bento Pedroso. A norte-americana Babcock e Brown Limited tem uma participação de 8% no agrupamento, a Edifer a Zagope de 7% cada, enquanto o BCP e a Caixa Geral de Depósitos (CGD) tem 5% cada.

O segundo consórcio a posicionar-se para concorrer liderado pela Mota–Engil e Integra a Somague, a Teixeira Duarte, a MSF, a Opway, a Esconcessões e a francesa Vinci. O BPI, o BES, o banco Invest e a Alves Ribeiro – Consultoria de Gestão também integram o agrupamento liderado pelo maior construtora portuguesa. Para Ana Paulo Vitorino, este concurso não é para “20 ou 30 propostas”, porque envolvem consórcios em que as empresas se agrupam para concorrer, a governante disse esperar o surgimento de três ou quatro concorrentes.

Conheça as empresas da Lena Brasil:



Abrasivo Digital

Website Malware Scan